Reformas

Voltei da minha última ida a Monlevade com duas peças de roupa perdidas por lá que não via há anos. Trouxe com o objetivo de reformá-las, pena que não tirei foto do antes…

Uma delas era uma saia de festa junina, franzida com elástico no cós e tinha uma renda decorando a barra. Desmanchei a costura que segurava a renda e guardei para utilidades futuras. Cortei o cós e aproveitei o resto do tecido. Virou um short bem praiano:

short

A outra peça tem uma história engraçada. Era um vestido com saia de nesgas, com mangas curtas e ombreiras. Peguei ele na “pechincha de tia Neuza”, que era como chamavámos o dia em que ela resolvia passar pra frente peças que não queria mais. Só que o tal vestido era largo em mim, então o vestia como se fosse saia, amarrava as duas mangas atrás da cintura e ficava dançando Shakira na frente do espelho.

Mal sabia eu que depois de mais de dez anos ia virar costureira e transformá-lo nessa boniteza aqui:

2

Precisei mexer só na parte superior: as mangas e ombreiras foram cortadas, refiz a costura dos ombros e todo o acabamento do decote e das cavas. A saia é um trem de lindo:

1

Parafraseando tia Neide: vestido de mamãe Dolores!

Mais Viscoses

Quando saí pra comprar o tecido da capa de almofada, bati o olho numa banca de viscoses estampadas e não resisti… Comprei em duas estampas. Com uma delas fiz um vestido pra minha irmã, com saia evasê e bolso embutido lateral (pena que ela não teve saco pra vestir e tirar foto):

vestido

Sobrou tecido suficiente pra uma camiseta, então fiz uma pra mim. Nessa me aventurei a fazer um babadinho decorando o decote:

az2

Já a outra estampa virou essa aqui, que também levou enfeite: um laço meio retrô pra ficar a minha cara.

az1

Fiz o acabamento das cavas e decote de todas as peças com viés pronto, que até agora se mostrou o jeito mais fácil. Na bainha passei uma costura dupla, pra segurar bem e não ficar que nem essas que a gente compra e já começa a se desfazer na terceira lavagem. Parece até que foi feita na galoneira, ó:

bainha

Tão frescas, estão sendo as minhas preferidas da estação!

azs

Saída de Praia + Lenço

Comprei esse chiffon há uns 6 meses, mas só agora tive coragem de cortar. A estampa é muito linda, super verão e daria um vestido lindo. Mas por conta da transparência, seria mais fácil utilizá-lo como saída de praia, já que assim não precisaria de forro. No final das contas, 1 metro de tecido foi o suficiente para a peça e um lenço:

montrs2

Com os dois juntos deu pra fazer várias combinações: a saída soltinha, com lenço amarrado no quadril ou na cintura. Sem falar na possibilidade de usar o lenço num chapéu ou na bolsa de praia.

montrs1

Usei a costura francesa em todas as costuras de união e viés do próprio do tecido nos decotes e cavas. Na manga, rebati a costura do ombro, o que dá aquele acabamento bonito de camisa:

manga

Só falta a praia!

Vestido de Bolinha

Fazendo jus ao nome do blog, cá está a primeira peça com estampa de poá!

poafrente

Tirei o modelo daquele primeiro vestido que eu fiz , acrescentando apenas uma leve pence na cintura. Mas a graça ficou por conta das modificações nas costas: fiz o recorte princesa pra poder inserir duas tiras, que amarradas, dão um ajuste melhor na cintura e fazem um laço bem charmoso.

poacostas

Com uma anabela no pé, não precisa de mais nada!

Quem faz aniversário sou eu mas…

Quem ganha presente é a irmã!

Com um crepe estampado, terminei ontem essa regata de alcinhas super simples, tirando modelo de outra já pronta:

Imagem

Nas costas fiz uma prega macho e na união das laterais utilizei a costura francesa, que dispensa a necessidade de qualquer chuleado. Assim, o acabamento no avesso ficou bem mais bonito.

Imagem

Deu vontade de fazer várias desse modelo, deixa só eu comprar mais pano…

Já há algum tempo tinha feito esse vestido também, com uma viscose mais grossinha, super confortável.

Imagem

Ficou ótimo nela, mas fiquei traumatizada com o tecido, que além de escorregadio, amarrota demais e não risca com giz de alfaiate. Depois acabei descobrindo que giz de quadro negro risca bem melhor qualquer tecido, embora o traçado fique grosseiro.

Vestido Listrado

Testando várias formas de costurar: esse foi confeccionado sem utilizar nenhum molde de papel. Posicionei um vestido que eu já tinha em cima do tecido e tesoura nele! Cortei o top no fio reto e a saia no viés, de modo que o caimento ficasse bem fluido e com as listras na diagonal.

No vestido original há um zíper lateral, mas como consigo vestí-lo sem abrir o fecho, não planejei nenhum tipo de abertura para esse aqui. Depois de costuradas todas as partes, comecei a inventar moda: resolvi decorar a bainha, decote e cavas com uma tira de viés azul marinho.

E pronto, vestido feito numa sentada só! Depois de 8 horas ininterruptas cortando e costurando, ficou assim:

montagem 1

No corpo ficou ótimo, mas teria valido a pena fazer o molde de papel pro lado avesso ficar bonito também.

O Primeiro Vestido

VESTIDO

Essa era a peça que eu estava mais ansiosa para aprender na aula de costura. Contudo, fiz de forma bem intuitiva, sem seguir nenhuma modelagem específica.

Só sabia que queria usar viscose (existe tecido mais confortável? não existe!), que fosse soltinho na cintura e com saia evasê. Comprei só um metro de tecido, então tive que ser bem econômica na hora de cortar. Pra sobrar mais pano pra saia, a parte de cima teve que ser com alças. Usei fecho invisível e arrematei as costas com um laço, o que deu um toque meio retrô. Gosto pouco, sabe?

Mais uma vez a bainha atrapalhou o caimento, que ainda não está perfeito. Mas, no geral, gostei bastante.

Update:

Depois de mostrá-lo na aula de costura, descobri que o evasê foi executado errado e daí veio o problema no caimento.