Guia: Bainhas Enroladas

Esta é uma opção de chuleio da Ultralock Singer que gosto muito, indicado para tecidos leves. Considero particularmente útil em bordas com curvas, como babados e barras de saias. Além de dispensar as dobras da bainha, dá um caimento muito bom a peças fluidas. Os fios utilizados nos loopers podem ser linha comum ou fio de overlock, sempre com as mesmas cores da peça.

Aqui, a barra de uma saia godê de cetim usando esse ponto:

bainha

Para produzir esse tipo de bainha, é necessário preparar a máquina adequadamente.

Primeiramente, o seletor R/S precisa estar na posição R, conforme já foi explicado. Veja abaixo, em amarelo, como fica o alinhamento vendo de frente e por cima:

Untitled design (1)

A letra R gravada na chapa da agulha indica onde a largura do ponto deve ficar. A marcação em vermelho mostra como fica o alinhamento.

Em seguida, selecione o comprimento desejado. É possivel escolher entre F e 2 para produzir bainhas enroladas:

Untitled design

Para fazer bainhas enroladas com 3 fios, a máquina já está pronta. Certifique-se de que passou as linhas corretamente e siga o ajuste de tensão fornecido no manual.

Com 3 fios, é possível fazer a bainha enrolada comum e a com borda atada. Geralmente consigo melhores resultados com o segundo tipo.

DSC06260
PONTO: Bainha enrolada 3 fios comum / TECIDO: Crepe
DSC06258
PONTO: Bainha enrolada 3 borda atada / TECIDO: Malha (branco) e Cetim (marrom)

Se preferir usar 2 fios, é necessário isolar o looper superior com o expansor, esse pequeno acessório:

DSC07805 copy

É bastante simples. O looper superior possui um orifício grande (B) e um pequeno (A):

1 (1)

Nesta figura, as letras A e B indicam as zonas de encaixe entre expansor e looper:

A

Comece encaixando a região B. Depois gire o expansor um pouco para baixo e empurre delicadamente o gancho para trás, até que ele se encaixe no menor orifício do looper:

DSC07809 copy

Vai ficar assim:

DSC07808 copy

Prontinho! Usando 2 fios, consigo resultados melhores usando fio de overlock (lã de nylon) no looper inferior. Observe a diferença deste ponto alterando somente o comprimento:

DSC07811 copy
Borda esquerda = F; Borda direita = 2; Borda inferior = entre F e 2

De todos os pontos desta máquina, as bainhas enroladas tem o ajuste de tensão mais fácil, pois a mesma combinação de valores costuma funcionar com vários tecidos diferentes, o que não acontece com o overlock 3 fios e ponto cadeia, por exemplo.

Sempre teste num retalho antes de ir para a peça final. Há uma situação em que o uso da bainha enrolada torna-se inviável. É quando os pontos saem assim:

DSC07819 copy

Apesar do aspecto horroroso, o ajuste de tensão parece estar adequado pois não há linhas frouxas e o entrelaçamento dos fios está como deve ser. Os desfiadinhos da borda ficaram muito visíveis, o que me sugere que a borda não se enrolou corretamente. Não sei como resolver esse problema, então quando ele ocorre, acabo desistindo de utilizar esse ponto.

Se souber como solucioná-lo, por favor, me conte aqui nos comentários!

Desvendando a Ultralock: parte 3

Agora que não há mais dúvidas sobre a passagem de linhas, vamos conversar sobre o ajuste de tensão. Recomendo que separe um tempo para testar a regulagem com tecidos diferentes, pois ter as combinações de valores registrados vai te poupar muito tempo quando for colocar a mão na massa.

Separe algumas tiras de retalhos de tecidos diferentes. É interessante ter amostras de tecidos planos finos, médios, pesados e malhas para poder ter uma boa base. Se tiver uma tricoline bem fininha e outra mais grossa, faça amostras dos dois, pois com certeza o ajuste será diferente.

panos

Além do tipo de tecido, há outros fatores que afetam o ajuste de tensão. Por isso é necessário padronizar todos os parâmetros a seguir antes de iniciar os testes:

  • TIPO DE PONTO

Recomendo testar pelo menos o ponto cadeia, overlock comum e algum tipo de bainha enrolada, mas tome como referência aqueles pontos que você irá utilizar mais frequentemente.

Alguns pontos são adequados a apenas um tipo de tecido. É o caso das bainhas enroladas (2 ou 3 fios), indicadas para tecidos leves. Separe malhas fininhas, crepe, musseline, seda, chiffon, cetim, viscose e o que mais tiver em casa para testar esse ponto.

Para o overlock comum (3 fios), faça os testes com todas as amostras disponíveis, pois é o ponto mais utilizado da máquina.

Segundo o manual, o ponto cadeia (4 fios) é ideal para tecidos elásticos médios e grossos, mas em tecidos planos também dá certo. Sabe onde gosto de usá-lo? Em peças utilitárias de tricoline e chita, como puxa-sacos e saquinhos diversos.

DSC06380
Saquinho de sapatos: ponto cadeia em chita e filó.
  • TIPO DE FIO

Não uso fio de overlock (lã de nylon) nos loopers, apenas linha de poliéster comum. Funciona perfeitamente, não arrebenta, não desfia e é bem mais fácil introduzí-lo no buraco dos loopers. Daí você tem que ver com qual se adapta melhor e padronizar aquele que for realmente usar no dia-a-dia.

tipofio

O manual indica a numeração dos fios apropriada a cada tipo de tecido. Como já tinha um estoque de cones de linhas 100% poliéster n°120, foi esse tipo de linha que padronizei.

numerofio

  • ESPESSURA DA AGULHA  e COMPRIMENTO DO PONTO

A escolha desses dois fatores é de acordo com a espessura do tecido. Observe que o manual estabelece a variação permitida do comprimento de acordo com o ponto. Considere as situações abaixo:

  1. Overlock comum em tecidos finos:  Use agulha 80/11 e comprimento reduzido (2,0 por exemplo).
  2. Overlock comum em tecidos médios e grossos: Use agulha 90/14 e comprimento médio ou largo (3,0 ou 4,0).
  3. Bainha enrolada 3 fios = tecidos finos: Use agulha 80/11 e comprimento beeeeem reduzido (F a 2).

Uma vez padronizadas essas condições, pegue o manual de instruções e siga as indicações de valores iniciais.

manual

Se estiver muito difícil identificar o quê é o quê, use cores de linhas diferentes seguindo o código de cores da máquina.

cores

Registre tudo! Vai dar trabalho, mas compensa.

tabela

Se você for costurar um tecido cujo ajuste não foi testado anteriormente, pode dar uma olhada nas suas amostras prontas e ver se não há nenhum tecido com textura semelhante.

amostras

Por exemplo, você já anotou o ajuste adequado para textoleen e agora vai costurar uma chita. É bastante provável que o mesmo ajuste funcione, pois eles tem uma estrutura parecida: ambos finos a médios e com uma trama mais aberta.

No final, você não vai ter coragem de jogar fora amostras de pontos tão bonitos!

Desvendando a Ultralock Singer: Parte 2

Chegou a hora de entender a passagem de linhas! Já estudou o manual, o esqueminha ilustrado do interior da máquina, assistiu ao vídeo da Singer mas ainda não conseguiu? Vem comigo! sdds katylene

Vou usar linhas de cores iguais aos códigos da máquina pra ficar mais didático, ok?

A) Primeiro coloque cada cone de linha no suporte e passe pelo varalzinho.

cones

B) Trazendo o fio da esquerda para a direita, passe cada linha por baixo do seu respectivo clipe:

amarela1

Depois de passar todas as 4 linhas pelo clipes, vai ficar assim:

clipes

A partir daqui, o manual sugere começar pela linha do LOOPER SUPERIOR (código vermelho), mas eu me atrapalho toda lá no final. Prefiro iniciar pelo mais difícil, que é a linha do LOOPER INFERIOR (código amarelo). Vamos lá?

C) Segurando a linha com as duas mãos, force sua entrada no meio do disco e puxe para baixo.

disco

D) Abra a tampa dos componentes internos e passe a linha pelo estica-fio localizado logo abaixo do disco tensor amarelo:

amarela3E) Com ajuda da pinça, passe a linha por cada “garrinha” na seguinte sequência:

1F) Até aqui foi fácil, né? Preste atenção agora. O LOOPER INFERIOR tem uma haste em formato de gancho. Passe a linha exatamente conforme mostrado na foto:

amarela5G) Desloque a linha para a esquerda até que ela entre em uma pequena fenda desta haste:

amarela6H) Introduza a linha no orifício do LOOPER INFERIOR. Quando você puxá-la, ela deve continuar passando pela fenda e dentro da ranhura do looper.

amarela7

Observe que foi justamente isso o que o esquema ilustrado dentro da máquina tentou mostrar:

esquema1

I) Agora jogue a linha para trás do calcador. Nesse momento, sempre deixo ela passando por baixo do looper superior, exatamente como mostra a foto. Caso contrário, ao iniciar a costura, não consigo formar a corrente pois a linha do looper superior escapa.

amarela8

Agora é mamão com açúcar! Repita o passo C com a linha do LOOPER SUPERIOR (CÓDIGO VERMELHO) em seu respectivo disco.

J) Passe a linha pelo estica-fio, localizado logo abaixo do disco tensor vermelho:

segundoclipe

K) Com ajuda da pinça, passe a linha por cada “garrinha” na seguinte sequência:

1 (1)

L) Introduza a linha no LOOPER SUPERIOR e jogue para trás do calcador.

verm2

Vamos para as linhas das agulhas.

M)  Repita o passo C com a linha da AGULHA DIREITA (CÓDIGO VERDE) em seu respectivo disco tensor.

N) Passe a linha pelos dois estica-fios:

verde1

O) Passe a linha pela fenda superior, conforme indicado pelo código verde:

fendaverde

P) Agora a linha deve ser passada pelo “rabinho de porco” e então, ser introduzida no orifício da agulha.

verde2

Só falta a agulha esquerda!

Q)  Repita o passo C com a linha da AGULHA ESQUERDA (CÓDIGO AZUL) em seu respectivo disco tensor.

R) Passe a linha apenas no segundo estica fio e em seguida, pela fenda inferior, conforme indicado pelo código azul:

azul1

S) Agora a linha deve ser passada pelo “rabinho de porco” e então, ser introduzida no orifício da agulha.

azul2

Vamos ver se deu tudo certo?

Enquanto segurar as 4 linhas, puxe um pouco para trás e gire algumas vezes o volante em sua direção para ver a corrente sendo formada. Ela não vai ficar perfeitamente regular, mas não pode haver linha solta. Todas as 4 linhas tem que participar da formação da corrente:

corrente

Abra a tampa e verifique se as linhas dos loopers não escaparam das garrinhas. Tem que estar assim:

garrinhas

Por último, repare bem como fica o aspecto das linhas depois das primeiras laçadas:

laçada

Tudo certo? Pé no pedal e comece a costurar!

Desvendando a Ultralock Singer: Parte 1

A Ultralock Singer faz pontos maravilhosos, mas é cheia de minúcias. Qualquer errinho atrapalha todo o andamento da costura, então é importante ler e reler o manual de instruções várias vezes. Tenha a certeza de que na décima leitura você ainda vai descobrir coisas novas!

Apesar de ele resolver a maior parte dos problemas, confesso que acho difícil assimilar tantas informações e conseguir interpretar todas aquelas ilustrações e fotos em preto e branco. Como há pouca informação sobre essa máquina na Internet, vou fazer uma série de posts dando dicas e relatando alguns contratempos que já tive durante o seu uso.

A primeira coisa importante é reconhecer os componentes dessa máquina:

  • DISCOS TENSORES

Ao passar por eles, as linhas são tensionadas em diferentes combinações que proporcionam a variedade de pontos.

discos

Para isso, a linha deve passar exatamente no meio do disco. Parece óbvio, mas não é. Quer ver?

linhaerrada

Viu como a linha passou pelo disco, mas está saindo lateralmente? Já reparei que quando isso acontece, o melhor ajuste de tensão que você tenha alcançado não vai funcionar mais.

Por isso, sempre verifique se a linha entrou e saiu exatamente pelo meio do disco, assim:

linha certa

  • SELETOR R/S

Esse seletor fica um pouco escondido, está ali do lado da faca fixa.

R

Observe que há duas posições para onde o seletor se move: S e R. Na posição R, a borda do tecido enrola sobre si mesma e produz a bainha enrolada. Todos os outros pontos são feitos na posição S.

Me corrijam se eu estiver errada, mas desconfio que esse R venha do inglês rolled hem, que significa bainha enrolada e o S de straight hem que seria algo como bainha comum.

Olhando de cima, dá para ver como fica o alinhamento do seletor com as ranhuras da chapa:

R (1)

  • SELETOR DE COMPRIMENTO

É o que vai definir se os pontos ficarão mais próximos ou mais afastados.

comprimento

Para tecidos médios a pesados (exemplo: algodão, denim, moletom) prefiro o comprimento em 3. Para tecidos mais leves, como chita, viscose e chiffon, gosto do comprimento em 2.

Dica-

  • SELETOR DE AVANÇO DIFERENCIAL

Habitualmente, deve ser mantido em 1,0. Para tecidos com elasticidade você tem duas opções. Se quiser produzir um chuleado com as bordas esticadas, formando um babado, aumente este valor (1,0 a 2,0). Se ao contrário, quiser franzir, reduza este valor (1,0 a 0,7).

avanço diferencial

Enquanto eu fazia meus puxa-sacos, o andamento da costura começou a travar. O motor fazia um barulhão de arranque mas a agulha descia com muita dificuldade, mesmo movendo manualmente o volante. Depois de algum tempo descobri que o seletor de avanço diferencial estava perto de 2,0. Provavelmente esbarrei nele e não percebi que ele saiu da posição 1,0. Imagino que a costura ficou difícil porque o tecido empregado (tricoline 100% algodão) não tinha nenhuma elasticidade para poder ser trabalhado com o avanço diferencial.

  • FACA MÓVEL

A posição dela é bastante óbvia na máquina, mas como virá-la nem tanto. Para isso é necessário pressioná-la para o lado direito e girá-la para cima. Assim:

Untitled design

Untitled design (1)

Nas primeiras vezes que utilizar a máquina é bom movê-la para facilitar a passagem de linhas. Depois você acostuma e nem precisa.

  • SELETOR DE LARGURA

É um botão preto localizado abaixo do Seletor R/S:

Untitled design (2)

Conforme você gira, percebe-se a fenda da chapa abrindo ou fechando, o que altera a largura do ponto:

Configuração de fábrica

Por exemplo: na configuração de fábrica, usando duas agulhas, a largura do chuleado é de 5,7mm. Girando o seletor, a largura oscila entre 5,2 e 6,7mm. Como a variação obtida é sutil, prefiro utilizar o método da troca de posição das agulhas para definir a largura do ponto.

  • AGULHAS

As agulhas dessa máquina são as n°2022. Elas são vendidas nos tamanhos 90/14 e 80/11 em cartelas com 10 unidades.

agulhas

Para trocá-las, basta utilizar a chave de fenda que vem com os acessórios da máquina e girar o parafuso da haste das agulhas. Note há um ligeiro desnível: a agulha esquerda fica mais pra cima do que a direita.

trocaagulha

No ponto cadeia, que utiliza 4 fios, as duas algulhas são usadas simultaneamente. Para os demais pontos, você vai trabalhar com apenas uma agulha e pode escolher a posição da esquerda ou da direita, obtendo-se assim um chuleado mais largo ou mais estreito.

No próximo post, falarei sobre passagem de linhas. Até lá!

Resenha: Minha Ultralock Singer

No mesmo dia em que a Vivi Basile gentilmente respondeu minhas dúvidas sobre a Ultralock Singer, achei essa máquina com um descontão numa loja virtual. Fiz a compra e depois de 4 dias ela já tinha chegado em casa:

gilma

Estou adorando! A passagem de linhas é fácil pois conta com um  diagrama de cores muito bem pensado, presente na sua parte interna:

loopers

Além disso, ela tem braço livre pra facilitar costuras tubulares, como aquelas em mangas e cavas. Basta desencaixar a peça lateral:

braço livre

Alterando a posição das agulhas, a quantidade de fios e os ajustes dos discos de tensão, 6 pontos diferentes são obtidos: ponto cadeia (4 fios), overlock comum (3 fios), overlock estreito (3 fios), fecho plano (3 fios), overlock de 2 fios e bainha enrolada (2 fios).

discostensao

Usando linhas no mesmo esquema de cores do diagrama, fiz vários testes pra conseguir visualizar melhor na amostra de tecido a origem de cada fio: azul – agulha esquerda, verde – agulha direita, vermelho – looper superior e amarelo – looper inferior. Assim, ficou bem mais fácil verificar onde a tensão deveria ser modificada para obter o melhor resultado.

direito avesso
Ponto cadeia – direito e avesso, respectivamente.
ov
Ponto overlock – direito e avesso, respectivamente.

Daí é calma e perseverança pra testar a regulagem com diferentes tipos de tecidos. Para o ponto cadeia, que une e dá acabamento, ficou assim:

amostras

Depois registrei as combinações dos valores de tensão utilizados em cada tecido numa planilha:

planilha tensao

Andei testando também algumas possibilidades de bainhas enroladas que a máquina oferece e gostei bastante. Vai ser uma mão na roda na hora de chulear a barra de tecidos finos, principalmente em curvas como a de babados. Num retalho de crepe, a bainha enrolada padrão com 3 fios ficou assim:

DSC06260

A bainha enrolada com borda atada, usando 3 fios, me pareceu dar um acabamento ainda melhor. Funcionou muito bem com cetim e malha:

DSC06258

Já comprovei que ela funciona bem com tecidos leves e pesados, planos ou malha. Em breve mostro as confecções que ela já produziu…