Desvendando a Ultralock: parte 3

Agora que não há mais dúvidas sobre a passagem de linhas, vamos conversar sobre o ajuste de tensão. Recomendo que separe um tempo para testar a regulagem com tecidos diferentes, pois ter as combinações de valores registrados vai te poupar muito tempo quando for colocar a mão na massa.

Separe algumas tiras de retalhos de tecidos diferentes. É interessante ter amostras de tecidos planos finos, médios, pesados e malhas para poder ter uma boa base. Se tiver uma tricoline bem fininha e outra mais grossa, faça amostras dos dois, pois com certeza o ajuste será diferente.

panos

Além do tipo de tecido, há outros fatores que afetam o ajuste de tensão. Por isso é necessário padronizar todos os parâmetros a seguir antes de iniciar os testes:

  • TIPO DE PONTO

Recomendo testar pelo menos o ponto cadeia, overlock comum e algum tipo de bainha enrolada, mas tome como referência aqueles pontos que você irá utilizar mais frequentemente.

Alguns pontos são adequados a apenas um tipo de tecido. É o caso das bainhas enroladas (2 ou 3 fios), indicadas para tecidos leves. Separe malhas fininhas, crepe, musseline, seda, chiffon, cetim, viscose e o que mais tiver em casa para testar esse ponto.

Para o overlock comum (3 fios), faça os testes com todas as amostras disponíveis, pois é o ponto mais utilizado da máquina.

Segundo o manual, o ponto cadeia (4 fios) é ideal para tecidos elásticos médios e grossos, mas em tecidos planos também dá certo. Sabe onde gosto de usá-lo? Em peças utilitárias de tricoline e chita, como puxa-sacos e saquinhos diversos.

DSC06380
Saquinho de sapatos: ponto cadeia em chita e filó.
  • TIPO DE FIO

Não uso fio de overlock (lã de nylon) nos loopers, apenas linha de poliéster comum. Funciona perfeitamente, não arrebenta, não desfia e é bem mais fácil introduzí-lo no buraco dos loopers. Daí você tem que ver com qual se adapta melhor e padronizar aquele que for realmente usar no dia-a-dia.

tipofio

O manual indica a numeração dos fios apropriada a cada tipo de tecido. Como já tinha um estoque de cones de linhas 100% poliéster n°120, foi esse tipo de linha que padronizei.

numerofio

  • ESPESSURA DA AGULHA  e COMPRIMENTO DO PONTO

A escolha desses dois fatores é de acordo com a espessura do tecido. Observe que o manual estabelece a variação permitida do comprimento de acordo com o ponto. Considere as situações abaixo:

  1. Overlock comum em tecidos finos:  Use agulha 80/11 e comprimento reduzido (2,0 por exemplo).
  2. Overlock comum em tecidos médios e grossos: Use agulha 90/14 e comprimento médio ou largo (3,0 ou 4,0).
  3. Bainha enrolada 3 fios = tecidos finos: Use agulha 80/11 e comprimento beeeeem reduzido (F a 2).

Uma vez padronizadas essas condições, pegue o manual de instruções e siga as indicações de valores iniciais.

manual

Se estiver muito difícil identificar o quê é o quê, use cores de linhas diferentes seguindo o código de cores da máquina.

cores

Registre tudo! Vai dar trabalho, mas compensa.

tabela

Se você for costurar um tecido cujo ajuste não foi testado anteriormente, pode dar uma olhada nas suas amostras prontas e ver se não há nenhum tecido com textura semelhante.

amostras

Por exemplo, você já anotou o ajuste adequado para textoleen e agora vai costurar uma chita. É bastante provável que o mesmo ajuste funcione, pois eles tem uma estrutura parecida: ambos finos a médios e com uma trama mais aberta.

No final, você não vai ter coragem de jogar fora amostras de pontos tão bonitos!

Anúncios

2 comentários em “Desvendando a Ultralock: parte 3”

    1. Oi, Thiana! Não é o que a regra manda, mas uso linha de poliéster em tudo sim. Principalmente porque tenho dficuldade de achar cones de linha de algodão para comprar. Retrós não compensa, porque às vezes você precisa encher a bobina duas vezes e a linha acaba no meio do seu trabalho. Porém, sempre tomo o cuidado de lavar tecidos de algodão, viscose, linho e aqueles de composição mista antes de costurá-los para realizar o pré-encolhimento. Assim, não tem perigo do tecido encolher mais que do que a linha e os pontos ficarem feios. Na hora de passar a ferro, também nunca tive problema: mesmo usando as temperaturas mais altas, a linhas de poliéster nunca derreteram comigo. Obrigada pela comentário! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s