Resenha: Singer Facilita Super 2968

Depois de quase 2 anos no batente, nada mais justo do que resenhar minha primeira máquina de costura. Adquiri esta máquina em agosto de 2013, com o intuito de aprender a costurar e na época não tive nenhuma costureira experiente para me orientar durante a compra.

Optei pela Singer pois além de ser bastante conhecida, essa marca oferece através do seu site e do canal no Youtube, um bom direcionamento para a escolha do modelo que pode melhor te atender. Vale dizer que os vídeos são cativantes! Só a musiquinha já me enche de boas recordações…

O modelo que escolhi foi a Facilita Super 2968, cujo design, na minha opinião, é um dos mais bonitos.

Esta máquina tem 18 tipos de pontos diferentes, dentre eles, os utilitários (reto, zig-zag, bainha invisível), os decorativos e os flexíveis (para tecidos elásticos). A seleção dos pontos é bem fácil, basta girar o disco seletor. Nunca usei os pontos flexíveis, acredito que a maior utilidade para eles é na confecção de moda íntima e moda praia.

seletor ponto
Em preto: pontos utilitários e decorativos/ Em vermelho: pontos flexíveis/ Em azul: caseado automático

A passagem de linha é bem simples, em toda a máquina há indicações do caminho a ser precorrido pela linha que vem do retrós. O manual de instruções é bem decente e à parte ainda veio um folheto só de explicações para passagem da linha e enchimento da bobina.

pasagem linha

A seleção da largura e do comprimento dos pontos são igualmente fáceis.

Seletor de largura do ponto
Seletor de largura do ponto.

Basta pressionar o botão central para acionar o retrocesso:

Seletor de comprimento/ Seletor de Caseado (4 passos)/ Botão Retrocesso
Seletor de comprimento/ Seletor de Caseado (4 passos)/ Botão Retrocesso

Para mim, essa máquina tem dois diferenciais.

O primeiro é a posição da bobina, que é horizontal, enquanto na maioria das máquinas a posição é vertical.

bobina horiz

Parece bobeira, mas isso facilita tanto, repito, TANTO, a colocação da bobina! Principalmente pra quem é iniciante. A posição horizontal é tão eficiente, que permite ver quando a linha da bobina está acabando (só abrir a chapa) e simplifica a limpeza e lubrificação da lançadeira.

Importante dizer: atenção ao tipo de bobina. Essa máquina só utiliza bobina baixa, hein! Se tentar utilizar a bobina alta, os pontos vão sair todos embolados!

O segundo diferencial é a velocidade, que é bem alta (1.100 pontos/minuto). Ao utilizar a velocidade máxima, você produz uma costura mais rápida, o que pode ser bastante útil. Para as iniciantes na costura, entretanto, essa característica tende a dificultar um pouco o manejo da máquina. É preciso aprender a pisar bem leve no pedal para conseguir uma velocidade em que seja possível trabalhar curvas ou costurar viés, por exemplo. Mas nada que a prática não resolva!

Considero um ponto negativo nesta máquina a capacidade limitada em costurar muitas camadas de tecidos pesados. Por isso, não a recomendo para consertos em jeans/brim e confecção de bolsas em lona. Uma Janome 2008 cumpre este papel direitinho, conforme tive oportunidade de experimentar no curso da Helena.

Durante este tempo, minha máquina apresentou dois problemas. Depois de 4 meses em uso, a lâmpada, que é de LED, começou a piscar enquanto fazia os pontos. Para trocá-la, é preciso levar à assistência técnica, o que convenhamos, é um absurdo. Ainda mais pra filha de eletricista e rei da gambiarra. Como era mais vantajoso ficar sem a iluminação, resolvi o problema cortando os fios com um alicate. Assim, preciso de um fonte de iluminação externa para costurar à noite.

O outro problema foi no pedal, após 1 ano e meio em uso. A máquina continuava a costurar quando eu retirava o pé do pedal, o que era bem desesperador. Para interromper a costura, só movendo a chave liga/desliga ou retirando o plugue da tomada. Levei o pedal à assistência técnica e descobri que o defeito estava numa molinha do circuito elétrico, que insistia em não retornar a sua posição inicial uma vez retirada a pressão. Precisei substituir o circuito elétrico, que aqui em Belo Horizonte, me custou R$ 45,00.

Apesar dessas ressalvas, considero uma máquina boa. Já costurei peças em tecidos médios, leves, plástico, TNT, mantas acrílicas e ela segue trabalhando bastante!

produção

Anúncios

Um comentário em “Resenha: Singer Facilita Super 2968”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s